Please .
;





Indique este site
Seu nome
Seu e-mail
Nome do amigo
E-mail do amigo

AGROPECUARIA Atividade de alto risco

A agropecuária está ameaçada!

Ameaça do MST e da Reforma Agrária, ameaça quilombola.
ameaça comuno-indigenista, ameaça ambientalista, ameaça dos índices de produtividade, ameaça feita a propósito da mentira do “trabalho escravo”, do uso político do georreferenciamento e da Agricultura Familiar.

O produtor rural está sendo triturado e a propriedade privada no campo está deixando de existir, cedendo lugar a um coletivismo que engessa a produção, tomando mais de 70% do território nacional.


Clique aqui para encomendar seu exemplar.

 

Neomissiologia e indigenismo neopagão
Índios autênticos e falsos, internet, mega-organização, ONU e Rio+20 são ingredientes jogados num caldeirão para produzir a desestabilização do que ainda resta de civilização cristã no Brasil

A falácia da Reforma Agrária
Segue artigo do historiador Marco Antonio Villa com oportuna análise do mito agro-reformista. Faltou mencionar e agradecer aos que lutaram e impediram a Reforma Agrária socialista e confiscatória. Destaco o grande batalhador professor Plinio Corrêa de Oliveira que defendeu o direito de propriedade sem nunca possuir um pedaço de terra.

Reforma Agrária – Questão de Consciência
O primeiro grito de alerta contra o agro-reformismo socialista e confiscatório

Reintegração de posse
A destruição de benfeitorias das propriedades pelos invasores é permitida, porém as supostas benfeitorias e os acampamentos dos invasores devem permanecer intactos.

O homem, a terra, a luta
Há mais terras, hoje, sob os “cuidados” do MST no Brasil do que destinadas à produção de alimentos em larga escala.

A criação de quilombos
Há todo um processo em curso, encampado pela Fundação Palmares, pelo Incra e pelo Ministério Público Federal (particularmente a sua 6ª Câmara), de ressignificação da palavra quilombo.

Fora da lei
"Criar cotas para negros, índios, alunos do ensino público esconde o lado grave do problema. Isso mostra a incapacidade do poder público. Sou contra isso. É preciso melhorar o sistema e qualificar os professores."

A mão de obra desqualificada e os Sem Terra
Centenas de estradas brasileiras estão repletas de acampamentos de “sem-terras”, em sua grande maioria, repletos de barracos vazios, onde os “moradores” só aparecem em dias de reuniões

Fim do direito de propriedade?
Trata-se de um plano que, em seu conjunto, visa à demolição de princípios básicos de nossa civilização ocidental e cristã. O decreto chegou a ser qualificado de golpe branco ou revisão da Constituição, e alguns o denominam Constituição do Lula!

Ele enfrentou sozinho o MST. Um contra 500.
Uma criança de dez anos de idade sabe o hino do MST, sabe dizer palavras de ordem, conhece técnicas de enfrentamento de polícia.

Confrontação absurda
Dependendo de como este assunto for encaminhado, estará em jogo a maior destruição de valor da história da agricultura brasileira,

Notícias Anteriores

Informativo Rural
Nova Justiça Agrária. A quem aproveita?
Sem medo da verdade
Exportação do agronegócio chega à marca dos US$ 39 bi
A vez do biodiesel
Brasil será superpotência agrícola, diz Tesouro britânico
A violência no campo é crescente desde que se implantou a proibição do direito de portar armas de fogo.

PEC do Trabalho Escravo
Conheça o texto da PEC 438/01
Texto da PEC aprovado em primeiro turno na Câmara
Nova arma contra a propriedade
Entrevista com o deputado Zequinha Marinho (PSC/PA).
Deputado denuncia hipocrisia do
Discurso pronunciado pelo Deputado Lael Varella (PFL/MG).
Comissão especial para analisar projeto do trabalho escravo.

Reforma Agrária
Fracasso reconhecido e teimosamente sustentado
Enganam-se os que crêem que o MST é um movimento para ajudar os pobres
A realidade nua e crua: O MST é um movimento a serviço do socialo-comunismo
Esquerda "Católica" é a verdadeira "alma" do Movimento Sem Terra

Falam as Vítimas de Invasão
A última coisa que o MST quer é terra para trabalhar
Entrevista com Da. Iracema Calvo Paes
A Reforma Agrária destrói a vida de suas vítimas
Entrevista com Da. Anastácia Basilícia de Camargo Ferraz